Fim de férias

by

Caro leitor,

Durante as férias o que a gente mais quer é descansar… Desconectar e desacelerar as turbinas ansiosas do cotidiano. Passei o mês de março de férias e tenho a sensação que para mim o ano só começou agora.

E já começou bem, o outono chegou bem característico junto a suas folhas amareladas e secas pelas calçadas da cidade e aquele vento gelado em dias ensolarados. Que coisa bem boa!
A vida segue tranquila, não pude viajar, comecei a estudar. Pois é! Nunca é tarde para aceitar os ventos que sopram novidades em nossas vidas… quem diria que depois de anos de formação – eu resolveria voltar para a cadeira acadêmica e trilhar um curso que foi um sonho de adolescência, mas que por algumas razões eu guardei: a psicologia. Como me encanta a subjetividade humana.

O que posso dizer a respeito dessa nova empreitada?

Estou amando, tudo muito diferente de anos atrás. Se aventurar por novos objetivos nos obriga a sair de nossas zonas de conforto e nos leva para momentos de superação tão prazerosos que é difícil explicar. Recentemente aprendi na raça a mexer no Google docs e a fazer os trabalhos com meus queridos companheiros de grupo, online. Hoje é uma ferramenta tão simples e que facilita tanto a vida de nós estudantes, (voltei a ser estudante e tenho ate carteirinha de meia entrada), mas a princípio parecia um monstrinho dizendo: te peguei.

O fato é que não sei se os novos rumos ou o que tenho aprendido em sala de aula e quem sabe até os dois, estão mexendo comigo; positivamente. Minha vida começava a ficar vazia e de repente uma volta de 360 graus. Já aprendi com a vida que nem sempre as mudanças são fáceis ou divertidas, ao contrário, mudar é tão doloroso quanto crescer, mas a gente cresce. E inevitavelmente a gente muda, compreende? Agora, é bom saber que existem mudanças tão boas que nos fazem crescer sem dor. Crescemos sorrindo. Cada dia que passa percebo que não existe uma fórmula, e que é na paz que encontramos o equilíbrio. E estar equilibrado quer dizer: preparado… preparado para acordar e viver aquilo que o sol do dia oferecer, com vento frio ou chuva forte; tanto faz. Concorda?

Não posso chamar essas linhas de crônicas, é mais uma carta a você leitor que continuou acessando nosso (meu e seu) blog mesmo sem minhas divulgações, sem conteúdo novo por um mês. Fiquei imensamente feliz e grato em entrar e ver a continuidade dos acessos. Por Isso, meu muito obrigado. E passei hoje para dizer, estou de volta e que 2017 finalmente começou.

Um beijo bem bom.

Lucas

Comentários

comentários