A vida é um mar de loucos.

by

Não sobreviva… Viva, em dias em que o agressivo nos toma é um desatino, eu sei… Tome uma xícara de café todas às manhãs, é importante e ajuda a ter energia, evite se tiver úlceras e gastrites. Leia um jornal, um é o suficiente. Aqui e ali a gente precisa saber o que se passa, jornais impressos mentem menos; mas mentem. E qual o problema com a mentira? Mentimos para nós mesmos o tempo todo…

Trabalhe. O trabalho dignifica – dizia minha avó… hoje tenho cá minhas dúvidas: o trabalho te remunera, mas também escraviza sua vida. Eu diria que a ocupação dignifica, ou seja, a escolha. Confio nisso. Escolha com amor, faça o que gosta, só assim terás paz.

Escute o que os outros tem a contar, todas as historias são válidas – principalmente dos velhos… Ah os velhos! Você, eu… Poucos escapam. Aceite que a contagem é regressiva, com isso, cada segundo é de suma – suma importância. Aprenda a lidar com as magoas, lembre-se: nada pode mudar o que passou, por isso, aceite, entenda; perdoe e siga.
Tudo na vida é possível, assim como 2+2 são 5. As pessoas estão dormindo, não sabem o que fazem, só estão perdidas e não conseguem se encontrar e por não saber lidar, atacam; se defendem… mesmo sem necessidade. Os dias estão sendo vividos por gente muito defendida, gente que foge demais de ser o que se é.
Gente muito preocupada com a opinião do outro, desesperada para ser aceita. Enfim…
Leitura… Ah a leitura! A melhor amiga de uma criatura. Viaje com ela; aprenda – compreenda. Leia muito, demasiadamente; desde a bula de seu remédio para unhas até Brecht. Leia também ao menos um Best seller e alguma coisa do Paulo Coelho, é necessário entender o que faz sucesso e o que os críticos tem contra ele. Se encante com as fases introspectivas de Clarice Lispector e sinta a sábia dor de Caio Fernando Abreu – de uma passadinha por Proust e pela contemporânea e sensível Martha Medeiros.

Deixe o passado lá, ele está mais morto que o Getúlio. E o que é esse tal futuro mesmo?

Tenho morrido a cada noite e renascido a cada manhã, tão grato, tão cheio de ar nos pulmões. Cadê aquele mau humor matinal?
Se alimente apenas do que precisa, a gente já coloca dentro muitas coisas desnecessárias, pra que deixar sobrar falta de saúde e gordura?

Assista “Casablanca” – “tomates verdes fritos” e repita sempre que puder “uma linda mulher”. Tome mais banhos. Medite entre em contato com o deus que habita você, dê um tempinho a ele, sinta a conexão que temos com o todo, o único.

Sempre que se culpar procure cogitar que naquele momento fez ou disse o que pode, mesmo que tenha sido em rompante e siga. Vá em frente, não pare. Esqueça a palavra “desculpa” – único jeito de deixar de fazer tanta “merda”.

Chame um amigo num chat qualquer, sim… Doe um pouco do seu tempo para quem é virtual, mesmo você sendo como eu do “olho no olho”.
Viagem quando puder. Tome banho de mar. Limpe sua casa. É seu santuário. Ouça o Ney, a Elis, bossa, jazz e blues. Vá até a jovem guarda. Conheça Beatles. Goste de Caetano. Admire o Gil. Delicie-se com Vivaldi. Ame desesperadamente Cartola e Bezerra da Silva. Ouça sertanejo – não tenha preconceitos, você não escolhe quem amar.

Não vá a enterros, não entendo para que cativarmos lembranças tristes, horrendas de alguém que foi especial. Essa cerimônia não é nem de longe despedida ou última homenagem como dizem por aí, ele não está mais ali. Enquanto todos chorarem de tristeza, vá aonde vocês gostavam de ir juntos e chore de gratidão por ter tido a chance da convivência.
Quanto entendimento a gente tem de coisa alguma? Corro das formulas – são obsoletas e o hoje é tão último. Se bem que algumas poucas coisas mudam – elas se tornam releituras.

Aqui diante dessa minha juventude tenho preferido proteger as coisas boas dessa disforme vida… Não sem dizer umas, sem ouvir outras e sem me machucar. Respire, a ferida vai cicatrizar.

Esqueça quem você é… Se reencontre todo dia.

Parece auto-ajuda essa minha auto-reflexão, não é isto, compreende? É coragem… Coragem de viver a vida sem adoecer. Percebe? Essa coragem que está além do que se cala por medo de falhar ou da fortuna não alcançada para alimentar o ego e a soberba. A Coragem está em extinção. Estamos nos permitindo copiar, reviver, desistir.

E se diminuíssemos nossos julgamentos e ouvíssemos?. É tão bom surpreender-se sem as fórmulas, receitas e remédios a que temos parava vida e que nos leva a ter o mesmo script para todos. Nossa estádia aqui não é congênere e tenho dito.
Manter o bom senso e deixar esse que está ai dentro de você sair… Sair e ver o mundo em qual vai entrar… o mundo que vai construir e lembrar que a vida é um “mar de loucos”, mas é aqui que devemos estar, agora. Então só uma ultima coisa: sorria, você não está sendo filmado – seja então o louco que gostaria de ser.

Comentários

comentários