“4th man out”.

by

Ultimamente todos os filmes que assisto, ou a maioria deles, quando digo maioria é no sentido propriamente dito da palavra , tem merecido quatro ou cinco estrelas. Resta saber se ando tendo sorte para bons roteiros ou se meu gosto para filmes está ficando vinagrado. Algo de diferente eu notei, estou reparando nos pequenos detalhes da fotografia, nas expressões mais singelas e que crescem em cena de forma delicada e marcante. Interpretações que geralmente passam despercebidas… E as passagens mais simples do roteiro são as que mais estão cativando meu olhar. Assisti o filme “4th man out” (sem titulo em português). Conta a historia de quatro melhores amigos, uma turma de héteros convictos, até que ao completar 24 anos, Adam, resolve contar para os amigos que é gay. Eles estranham, questionam e até duvidam. Até que, sem saída, percebem que é preciso aceitar a orientação sexual do amigo em nome desta grande amizade. Juntos embarcam em descobertas que só fortalecem o carinho que um tem pelo outro. Uma amizade que seria “improvável” depois da revelação torna-se ainda mais verossímil. Adam passa por dificuldade de se enquadrar no mundo gay e seus três amigos resolvem ajuda-lo nessa empreitada. E o ajudam desde a procurar o cara ideal até irem a uma boate gay. Adam conta aos pais da forma mais inusitada possível e conflitos acontece para nos deixar presos a uma história que penetra na homossexualidade sem os estereótipos que costuma nos ridicularizar por fugir do padrão. O filme é sensível e divertido… Podemos até abrir um parêntese para tratar dessa cultura gay heteronormativo que vem tomando a cabeça de muitos gays com problema de aceitação e que andam aceitando esta imposição que a sociedade tradicional tem colocado para “conseguir” conviver com nossa comunidade (mas isso é assunto para outro momento). Enfim, cada um vive como acha melhor, desde que não aceite nenhuma forma de ditadura. O que não consigo entender é: O que Ana Paula tem a ver se Pedro gosta de José? Gostei do filme, porque dentro desta composição no que diz respeito ao simplismo que se acomoda o enredo e leva para dentro da casa da tradicional família brasileira a possibilidade de reflexão; uma história que pode ser assistida por todos sem causar nenhuma sensação de estranhamento ou desconforto, pelo contrario. O filme leva o telespectador a uma vertente tranquila, segura e com pitadas bem humoradas sobre a homossexualidade. Ótima abertura para a discussão da temática com adolescentes. “4th man out” é um filme gay para toda a família, recomendo.

Comentários

comentários

No tags 0