Não existe amor em SP (DOIS OU TRÊS ENCONTROS – PARTE FINAL)

by

“Está bem… Pode vir Pedro, anota o endereço”. Com o endereço colocado no waze Pedro partiu ouvindo a cantora Ana Cañas… Já perto da estação na qual saltaria Luigi lembrou-se das palavras de Pedro quando entraram no apartamento encantado. “Permita-se Luigi”, “não é tão fácil assim, Pedro, não agora”… Explicou o rapaz amedrontado. Pedro o abraçou, olhou em ...

As estrelas permanecem lá.

by

São Paulo e suas noites convidativas... Paro na entrada do prédio em que vivo e sento no banco para fumantes, vazio... Rua vazia. Penso em solidão, na minha. Existem tantas formas de solidão, ninguém escapa. A solidão que me toma hoje é como nuvem passageira, essas que enfeitam o céu nessa primeira noite de primavera. ...

Drama emocional (DOIS OU TRES ENCONTROS – PARTE 4)

by

Reparação… Era no que pensava Luigi antes de apanhar o celular e ligar para Charlotte. Antes ainda, ele pensou em Pedro; “me entreguei a você… conhece agora, minha vulnerabilidade”… Os olhos marejados eram sobre aquele arrependimento que o atormentava naquele instante. “Oi, Charlotte. Desculpe pela hora, sei que é cedo, estou angustiado e me sentido ...

Aquarius – o filme

by

Abracei e me despedi da Mari perto da Praça 14 bis e segui para casa, meu coração batia descompassado e os pensamentos confusos... Ao chegar a meu prédio não resisti e de entreguei ao desejo de uma cerveja gelada na pizzaria (mesmo sem poder beber). Eu estava receoso em assistir o filme Aquarius com a ...

Manias da gente

by

O psiquiatra tratava sobre transtornos obsessivos compulsivos (o famoso toc) na TV, num desses programas matinais e sua explicação era muito clara, objetiva e coerente... O assunto interessou-me.  Fiquei pensando nos meus transtornos (que não são poucos). Segundo o psiquiatra muito do que o compulsivo sente só existe, de fato, dentro da da sua própria ...

Defeitos não sabem mentir

by

O vulcão em erupção se aquieta, adormece em seu leito. Minha inquietação interna me violenta – e me violentando; violenta quem percebe tal violência. Ser impulsivo é o mesmo que abrir os olhos e ver: já fiz, já disse… É arrebentar quem não precisa de arrebento. É desagradar quem não precisa de desagrado. Sou todo defeituoso. Somos ...

O jantar com Sofia (DOIS OU TRÊS ENCONTROS – parte 3)

by

“Chora”, disse Sofia sentada à mesa do restaurante japonês na Rua Pamplona. “Sem graça, não vou chorar, só estou com medo”, respondi folheando o cardápio; “passamos a noite juntos novamente e dessa vez foi diferente”. “Diferente como?” perguntou Sofia já decidida no que pediria e chamou a garçonete, “um temaki de salmon com cream cheese, ...

O bilhete (DOIS OU TRÊS ENCONTROS – parte 2)

by

(…) “Também quero te ver… Quando e a que horas?”. Foi o que respondi para ele no Whatsapp. Encontramos-nos no Frei Café e Coisinhas, que fica na Rua Frei Caneca. Bebemos alguns drinks. Ele estava lindo numa camisa Armani. Aqueles beijos não tem explicação, o sabor da caipirinha de morango e saquê. Amasso na porta ...